Como investir na Bolsa de Valores: um Guia Prático

No final desse artigo você saberá como investir na bolsa de valores em um passo a passo. Além disso, entenderá como funciona o mercado de ações, riscos e tributações.

Ao contrário do que você pensa investir na bolsa de valores é extremamente prático. Antes de eu explicar como investir na bolsa de valores, é interessante você saber o que é a bolsa de valores, porque ela existe e quais são as formas de investir na bolsa de valores.

Não se esqueça de que a bolsa de valores é um MEIO para alcançar objetivos e NÃO UM FIM.

Antes de investir na bolsa de valores busque mais informações ou consulte um especialista. Opte por pessoas com certificações e/ou que estudem bastante.

Falo isso, pois existem muitas pessoas que possuem bastante experiência, mas não estudam o suficiente, não testam o que funciona e o que não funciona. Para ter sucesso na bolsa de valores é necessário estudo constante.

Chega de lição de moral e vamos ao que interessa!

 

O que é a bolsa de valores?

A bolsa de valores é um mercado online onde os investidores se encontram para negociar ações de empresas e outros produtos financeiros. Na bolsa são negociadas ações de empresas dos mais diversos setores: bancário, de consumo, de saúde e assim por diante.

 

Por que existe a bolsa de valores?

A bolsa de valores surgiu como um meio para as empresas captarem recursos (dinheiro) para investir em si mesmas. Ela vende um pedaço de sua participação para pessoas ou empresas em troca do dinheiro delas.

No final das contas, as pessoas ganham uma participação nas empresas, o que da direito a elas a receber parte dos lucros que as empresas ganham, entre outros direitos. Já as empresas conseguem captar dinheiro a um preço mais barato que conseguiriam nos bancos.

Todo mundo ganha!

A maior vantagem que eu vejo na bolsa de valores para as pessoas é que dificilmente teríamos a possibilidade de investir em grandes empresas. A bolsa de valores nos facilita bastante para que possamos fazer isso.

 

O que são ações?

Ações são pequenos pedaços de uma empresa. É como se a empresa fosse dividida em 1.000.000 de pedaços e você comprasse um ou mais pedaços dela.

Ao se tornar detentor de um pedaço da empresa, você se torna sócio dela. Sendo sócio você tem direito aos lucros que ela distribui e, em alguns casos, direito a voto nas assembleias.

 

Por que investir na bolsa de valores?

A bolsa de valores mostra resultados muito bons a longo prazo.

Aqui no Brasil, ainda não existe a cultura de investir na bolsa muitas vezes por ser considerado um investimento de alto risco. Algo que as pessoas não levam em conta é que o risco está bastante associado com o prazo.

Existe um estudo de um autor americano chamado Jeremy Siegel (2007) que mostra como as ações tiveram retornos maiores que qualquer outro investimento no longo prazo nos Estados Unidos:

como-investir-na-bolsa-de-valores-siegel

Fonte: SIEGEL, Jeremy J. Stocks for the long run. 2007.

Esse gráfico nos mostra como foi o desempenho anual das ações e da renda Fixa nos EUA levando em conta quantos anos ficamos “segurando” os ativos.

Esse desempenho já desconta a inflação, ou seja, se o desempenho foi de 10%, mas a inflação foi de 4%, o retorno considerado foi de aproximadamente 6%.

O 1, ali embaixo na figura, mostra qual foi o retorno médio que uma pessoa obteve segurando as ações e a renda fixa por um ano. Não importa quando ela comprou. Se ela ficou 1 ano sem vender as ações, por exemplo, o melhor resultado que ela teve foi de 66,6% em um ano e o pior resultado que eu tive foi de -38,6% em um ano.

Considerando segurando as ações por 2 anos o melhor resultado foi de 41% e o pior de -31,6%. Enfim, quando olhamos esse gráfico para a direita, podemos ver que o melhor retorno e o pior diminuem.

Em 30 anos, o pior retorno que a pessoa teve foi de 2,6% POSITIVO! Isso significa que se a pessoa comprou ações em um dia qualquer e segurou por 30 anos o pior desempenho anual que ela teve foi de 2,6%!!

Mas cuidado. Só por que isso ocorreu no passado, não significa que irá ocorrer no futuro. Isso serve para mostrar também que a relação risco e retorno existe nos mercados no longo prazo.

 

Qual o valor mínimo para investir na bolsa de valores?

Não existe um valor mínimo para investir na bolsa de valores.

Recomendo para quem possui valores baixos (abaixo de 1000 reais) que comece investindo em fundos. Assim os custos não serão tão altos e não irão corroer a sua rentabilidade.

Se você for fazer aportes mensais baixos, também recomendo começar a investir em fundos, pois para investir na bolsa existem vários custos entre eles a corretagem, que mostrarei a você mais adiante.

 

Meios para investir na bolsa de valores.

Existem várias formas para investir na bolsa de valores. Podemos investir diretamente na bolsa (vou explicar para você no passo a passo), por meio de fundos e por meio de clubes, basicamente.

Vale lembrar que você pode investir PELA INTERNET. Isso mesmo, você pode estar em qualquer lugar do mundo investindo seu dinheiro. Eu acho isso SENSACIONAL, porque você pode ser um investir e morar em qualquer lugar do mundo!

 

O que é o Home Broker?

O Home Broker é uma ferramenta que foi criada para que o investidor consiga comprar e vender ações pela internet. É muito mais simples que você imagina.

Quando você abre o Home Broker abre uma janela no seu navegador com vários paineis. Eles variam de corretora para corretora, mas no geral informam as mesmas coisas: cotações das ações, ordens de compra e venda de ações e vários deles mostram até os gráficos de como as cotações das ações estão variando de acordo com o tempo.

Um passo a passo de como investir na bolsa de valores

 

#1 – Abrir uma conta em uma corretora ou banco

A primeira coisa que você deve fazer é abrir uma conta em uma corretora ou banco. A conta bancária é necessária mesmo que você possua abra a conta em uma corretora, porque para enviar o dinheiro para a corretora você deve fazer uma transferência da sua conta bancária. Quando trabalhei em uma corretora muitos me perguntavam como fazia para transferir o dinheiro.

Por motivos de SEGURANÇA o dinheiro só entra na sua conta da corretora de uma conta bancária com mesmo CPF. Da mesma forma quando o seu dinheiro sair da sua conta na corretora ele só poderá ser transferido para uma conta de mesmo CPF.

 

#2 – Transferir o dinheiro para sua conta

Parece meio óbvio, mas você precisa transferir o dinheiro para a sua conta na corretora. É muito mais simples que você imagina. Basta pegar os dados bancários na página da corretora, após seu cadastro ter sido aprovado e fazer um DOC ou TED.

Se você possui dinheiro no banco é mais fácil ainda. No entanto, o banco não foca tanto em bolsa de valores e tendem a ter custos mais elevados e, no geral, não possuem um suporte tão bom para quem quer investir na bolsa de valores.

Se for uma TED, poucos minutos depois seu dinheiro está na corretora! Simples e fácil!

 

#3 – Começar a investir

Assim que o seu dinheiro estiver na sua conta, você já pode comprar, vender, enfim fazer o que quiser com ele. Por meio do Home Broker você pode comprar e vender ações pela internet.

Algumas corretoras também permitem que você compre fundos ou até mesmo cotas de clube pela internet, o que facilita bastante a vida do investidor.

Mas CALMA! Antes de tudo você precisa entender o que está fazendo!

Por isso sempre recomendo que você leia livros sobre o assunto ou faça alguns cursos antes de começar a investir.

 

Riscos

Existem alguns riscos de investir em ações.

Um deles é o risco de liquidez. Você pode não conseguir vender as seus ativos se comprar ações de empresas que são pouco negociadas na bolsa.

Risco de desvalorização do ativo. A empresa pode ter um mau desempenho, seus lucros podem cair ou as expectativas sobre a empresa ou cenário econômico piorarem. Isso irá se refletir no preço das ações.

 

Quais os custos envolvidos?

Existem basicamente 2 custos, a corretagem e a taxa de custódia.

 

Corretagem

É o custo que você terá para comprar e vender ações. Grande parte das corretoras possui mais de um tipo de plano

  • Corretagem fixa: você paga a mesma quantia independente de qual o valor você compra ou vende. Exemplo: comprei 1000 ações da Petrobrás. Meu gasto será de R$ 15,00 independentemente se eu comprar 1000 ações ou 20000 ações. Agora se você lançar 5 ordens de compra de 200 ações irá pagar 5 corretagens.
  • Corretagem variável: você paga de acordo com o valor total da sua ordem (preço x quantidade). Para valores acima de R$ 3.029,38 você irá pagar 0,5% do valor total + 25,21 reais. Exemplo: comprei R$ 100.000,00 irei pagar 500 + 25,21 = 525,21.

Na maior parte das vezes a corretagem fixa é mais vantajosa que a corretagem variável. Só para valores muito pequenos a corretagem variável é mais vantajosa.

 

Taxa de custódia

A taxa de custódia é um valor cobrado mensalmente para “guardar” as suas ações. É uma taxa cobrada por várias corretoras, mas algumas delas não cobram esse valor. O valor varia entre R$ 5,00 e R$ 10,00.

Se você investe em fundos, o custo de corretagem e de custódia será diluído entre todos os cotistas. Isso ajuda quem possui valores menores para investir.

 

Tributação

O Imposto de Renda é de 15% sobre o ganho de capital das ações. Exemplo: comprei uma ação por R$ 100 e vendi por R$ 200. Irei pagar imposto sobre o lucro, 200 – 100 = 100. Logo, irei pagar 15 reais de imposto. Lembrando que para vendas até R$ 20.000,00 no mês você é isento.

O imposto pago é de acordo com os resultados mensais. Vale a pena dar uma pesquisada sobre o assunto, mas já adianto que várias corretoras oferecem serviços que calculam o imposto a ser pago. Isso ajuda bastante nos cálculos de quem está comprando e vendendo diariamente.

Para os fundos o IR é diferente.

 

  • Fundos de ações:
    • Alíquota é de 15% sobre o ganho de capital independentemente do prazo.
  • Fundos de curto prazo:
    • Alíquota de 22,5% sobre o ganho de capital para aplicações feitas até 180 dias.
    • Alíquota de 20% sobre o ganho de capital para aplicações feitas a mais de 180 dias.
  • Fundos de Longo Prazo:
    • Alíquota de 22,5% sobre o ganho de capital para aplicações feitas até 180 dias.
    • Alíquota de 20% sobre o ganho de capital para aplicações feitas de 181 até 360 dias.
    • Alíquota de 17,5% sobre o ganho de capital para aplicações feitas de 361 até 720 dias.
    • Alíquota de 15% sobre o ganho de capital para aplicações feitas a mais de 720.

 

Resumo:

  • A bolsa de valores é um meio para as empresas captarem recursos.
  • Ação é um pedaço de uma determinada empresa que você compra. Você se torna sócio da empresa.
  • Você pode investir na bolsa por meio de fundos, clubes ou diretamente.
  • É possível comprar e vender ações pela internet, utilizando o Home Broker.
  • A bolsa, nos EUA, mostrou retorno melhor que os outros investimentos no longo prazo.
  • Não existe um valor mínimo para investir na bolsa de valores.
  • Para investir na bolsa de valores basta abrir uma conta numa corretora ou banco, transferir o dinheiro e começar a investir.
  • Entre os riscos temos o risco de liquidez e o risco de desvalorização do ativo.
  • Entre os custos temos o custo de corretagem e a taxa de custódia.
  • A tributação varia de acordo com o tipo de investimento e prazo.

 

Próximos Passos:


Finalizarei por aqui.

Se gostaram ou tiveram dúvidas, deixem seu comentário abaixo!

Não se esqueçam de curtir o artigo.

Abraços[/fusion_builder_column][/fusion_builder_row][/fusion_builder_container]